PANDEMIA E FRATERNIDADE: A RESPOSTA COMUNITÁRIA OFERECIDA PELA AGENDA DA ONU 2030 UMA AGENDA PARA O SÉCULO XXI CONSTRUINDO A AGENDA 2045

Lafayette POZZOLI, Gilmar SIQUEIRA, Rogério Cangussu Dantas CACHICHI

Resumo


Objetivo: O objetivo deste artigo é relacionar a aplicação da Agenda 2030 da ONU ao contexto atual da pandemia causada pela Covid-19. Tal aplicação poderá ocorrer por meio do princípio da fraternidade.

Metodologia: A pesquisa foi desenvolvida utilizando o método de abordagem hipotético-dedutivo, o procedimento comparativo, a técnica de documentação indireta, a pesquisa bibliográfica: em livros e periódicos jurídicos; documental; em legislação e em sites eletrônicos.

Resultados: A pandemia mostrou que o ser humano não é autossuficiente e que precisa dos outros não apenas para se preservar, mas também para se desenvolver. Para se chegar a este resultado o artigo tratou na primeira seção os pontos principais da Agenda 2030 e seu caráter de construção comunitária. Na segunda seção, o princípio da fraternidade será analisado. Na terceira, será abordado caráter comunitário da Agenda 2030, as falsas seguranças evidenciadas pela pandemia e o princípio da fraternidade como vínculo comunitário.

Contribuições: O princípio constitucional da fraternidade pode ser um pilar significativo para o período depois que a pandemia passar e, ainda outros poderão ser tratados de forma madura, neste século XXI e propiciando a construção de caminhos sólidos para a efetivação da tolerância em escala mundial. Enfim, um substrato significativo para a construção dos objetivos da Agenda 2045.

Palavras-chave: Pandemia; Fraternidade; Desenvolvimento; Humanismo; Agenda 2045; Dignidade Humana.

 

ABSTRACT

Objective: The purpose of this article is to relate the application of the UN the 2030 Agenda to the current context of the pandemic caused by Covid-19. Such application may occur through the principle of fraternity.

Methodology: The research was developed using the hypothetical-deductive approach method, the comparative procedure, the indirect documentation technique, the bibliographic research: in books and legal journals; documentary; legislation and on electronic websites.

Results: The pandemic has shown that human beings are not self-sufficient and that they need others not only to preserve themselves, but also to develop. To achieve this result, the article dealt in the first section with the main points of the 2030 Agenda and its character of community building. In the second section, the principle of fraternity will be analyzed. In the third, the community character of 2030 Agenda will be addressed, the false security evidenced by the pandemic and the principle of fraternity as a community bond.

Contributions: The constitutional principle of fraternity can be a significant pillar for the period after the pandemic passes, and still others can be dealt with in a mature way, in this 21st century and providing the construction of solid paths for the realization of tolerance on a global scale. Finally, a significant substrate for the construction of the 2045 Agenda objectives.

Keywords: Pandemic; Fraternity; Development; Humanism; Agenda 2045; Human dignity.

 


Palavras-chave


Pandemia; Fraternidade; Desenvolvimento; Humanismo; Agenda 2045; Dignidade Humana.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, José Eustáquio Diniz. Os 70 anos da ONU e a agenda global para o segundo quindênio (2015-2030) do século XXI. In: Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, set./dez., p. 587-598, 2015.

BARROS, Marcelo. O papel do TCU na implementação da Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. In: Revista TCU, n. 136, maio/agosto, 2016, p. 12-15.

BUSS, Paulo Marchiori. Agenda do Desenvolvimento 2030 e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. In: Seminário Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Rio de Janeiro, Fiocruz, 2017a.

BUSS, Paulo Marchiori. Avanços e retrocessos na implementação da Agenda 2030 e ODS na América Latina e Caribe. In: Portal DSS Brasil, Rio de Janeiro, 2017b.

BUSS, Paulo Marchiori. Implementação da Agenda 2030 e dos ODS – perspectivas do Brasil. Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz, Rio de Janeiro, 2017c.

COSTA, Carlos Eduardo Lustosa da. Contribuição dos órgãos de controle externo para a Agenda 2030. In: Interesse Público, Belo Horizonte, v. 18, n. 100, nov./dez., p. 173-178, 2016.

FONSECA, Reynaldo Soares da. O princípio constitucional da fraternidade: seu resgate no sistema de justiça. Belo Horizonte: Editora D’Plácido, 2019.

FONTES FILHO, C. B.; ANJOS, E. D. F. Disponibilidade e aspectos jurídicos da gestão da água doce no Brasil: um caminho para o alcance da Agenda 2030. In: Revista de Direito, Economia e Desenvolvimento Sustentável, Brasília, v. 2, n. 1, jan./jun., p. 1-19, 2016.

FRANCISCO, Papa. Carta Encíclica Laudato Si’. Sobre o cuidado da casa comum. Santa Sé, Cidade do Vaticano, 24 de maio de 2015.

GARCIA, Bruna Pinoti. POZZOLI, Lafayette. Caminhos do Humanismo: autodisciplina e justiça participativa em prol da realização do bem comum na internet. In: Direito & Paz, v. 26, p. 251-288, 2012.

HUMANIPEDIA. Anti-humanismo. In: Enciclopédia humanista, 2016. Disponível em https://pt.humanipedia.org/index.php/Anti-humanismo_filos%c3%b3fico. Acessado em 14/12/2020/2020.

LEITE, Valéria Aurelina da Silva. POZZOLI, Lafayette. Fraternidade universal como novo modelo de desenvolvimento: construção de uma cultura de paz. In: Revista Jurídica Luso-Brasileira, v. 6, p. 1409-1439, 2017.

LUCA, Guilherme Domingos de. POZZOLI, L. Ética na sociedade numa relação do direito e da fraternidade sobre o conceito de sustentabilidade: bem comum e dignidade da pessoa humana. In: Revista Thesis Juris, v. 4, p. 87-101, 2015.

MACINTYRE, Alasdair. After Virtue: A Study in Moral Theory. 3ª ed. Indiana: University of Notre Dame Press, 2007.

MARÍAS, Julián. Persona. Madrid: Alianza Editorial, 1997.

MARITAIN, Jacques. Humanismo integral. São Paulo: Dominus, 1962.

MARITAIN, Jacques. O homem e o Estado. Rio de Janeiro: Livraria agir, 1952.

MARITAIN, Jacques. Os direitos do homem. Rio de Janeiro: José Olympio, 1967.

MONASSA, Clarissa Chagas Sanches. POZZOLI, Lafayette. (Orgs.). Solução de conflitos. A fraternidade em ação: construindo o saber jurídico. São Paulo: Letras Jurídicas, 2014.

MONASSA, Clarissa Chagas Sanches. POZZOLI, Lafayette. LACERDA, Luana Pereira. (Orgs.). Fraternidade e Sustentabilidade no Direito. Curitiba: Instituto Memória, 2015.

NAHAS, Maria Inês Pedrosa. HELLER, Léo. Indicadores para avaliação e monitoramento do direito humano universal à água e ao esgotamento sanitário na Agenda Global 2030: discussão teórico-conceitual. In: Anais do VII Congreso de la Asociación LatinoAmericana de Población e do XX Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Foz do Iguaçu, outubro, 2016, p. 1-20. http://www.abep.org.br/publicacoes/index.php/anais/article/view/2898/2768. Acesso em 14/12/2020.

NOGARE, P. D. Humanismos e anti-humanismos: introdução à antropologia filosófica. 12 ed. Petrópolis: Vozes, 1990.

ONU-BR. 17 objetivos para transformar nosso mundo. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015. Disponível em http://www.agenda2030.com.br/. Acesso em: 14/12/2020.

ONU-BR. Secretário-geral da ONU apresenta síntese dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pós-2015. 2014. Disponível em http://www.agenda2030.com.br/. Acesso em: 14/12/2020.

ONU. ONU discute Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pós-2015. 2014. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2014/12/1494901. Acesso em: 14.dez.2020

ORTEGA Y GASSET, José. Meditaciones del Quijote. Campinas: Livre, 2016.

PONTIFÍCIA ACADEMIA PELA VIDA. Pandemia y Fraternidad Universal: nota sobre la emergencia Covid-19. 30 de março de 2020. Disponível em http://www.academyforlife.va/content/dam/pav/documenti%20pdf/2020/Nota%20Covid19/Nota%20sobre%20la%20emergencia%20Covid-19_ESP_.pdf. Acesso: 14/12/2020.

POZZOLI, Lafayette. Maritain e o Direito. Coleção Instituto Jacque Maritain no Brasil. Loyola, São Paulo: 2001.

POZZOLI, Lafayette. SOARES, Luiz Carlos de Macedo. (Orgs.). Perdão e seus novos conceitos: Fraternidade - Conciliação - Mediação - Arbitragem - Equidade. Curitiba: Instituto Memória, 2017.

QUEIROZ, Isaac Newton Lucena Fernandes de. SILVEIRA, Iaskara Michelly de Medeiros. REGO, Alexandre Henrique Garcia. MOREIRA, Sueli Aparecida. Educação e Etnociência: caminhos da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. In: Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, v. 8, n. 2, 2017. https://doi.org/10.6008/SPC2179-6858.2017.002.0020. Acesso em 14/12/2020.

RESENDE, André Lara. Os limites do possível: a economia além da conjuntura. São Paulo: Portfolio-Penguin, 2013. E-book - parte disponível em https://www.companhiadasletras.com.br/trechos/75012.pdf. Acesso em: 14/12/2020.

RIBEIRO NETO, Francisco Borba. Humanismo, natureza e experiência. In: SOUZA, Carlos Aurélio Mota. CAVALCANTE, T. N. (Orgs.). Princípios humanistas constitucionais: reflexões sobre o humanismo do século XXI. São Paulo: Letras Jurídicas, 2010.

RODRIGUEZ, L.; BUSTAMANTE, A. Jacques Maritain y la sociedad comunitária. Madri: Monte Avila, 1980.

ROTERDÃ, Erasmo. Elogio da loucura. São Paulo: Brasileira, 1982.

SANTOS, Ivanaldo. Crise do paradigma moderno da paz. In: SERRA, Carlos (Org.). O que é Paz? Maputo, Moçambique: Escolar Editora, 2017.

SANTOS, Ivanaldo. POZZOLI, Lafayette. (Orgs.). Direito e educação. Fraternidade em ação: uma abordagem interdisciplinar. São Paulo: Letras Jurídicas, 2014.

SANTOS, Ivanaldo. MARCHIONNI, Antônio. DI LORENZO, Wambert Gomes. (Org.). Humanidades em Maritain: Ensaios sobre o pensamento humanista contemporâneo. 1. ed. São Paulo: Clássica, 2017. v. 1.329.

SCHWAB, Klaus. The Fourth Industrial Revolution. Cologny: World Economic Forum, 2016.

SILVEIRA, Naira Christofoletti. A extensão universitária na Agenda 2030 da ONU. In: Raízes e Rumos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 05-07, jan./jun., 2017.

SIQUEIRA, Gilmar. POZZOLI, Lafayette. MUNHOZ, Cátia Martins da Conceição. Dignidade da Pessoa Humana e Direito Fraterno - Percurso do Direito como Função Promocional. In: Érika Leahy; Rogério Cangussu Dantas Cachichi. (Org.). Constitucionalismo & Direitos Fundamentais. 1ed.Curitiba: Instituto Memória Editora, 2019, v. 1.

TOLEDO, Iara Rodrigues de; POZZOLI, Lafayette. Análise do princípio constitucional da dignidade humana face a dimensão da afetividade e o direito fraternal. In: Problemata. Revista Internacional de Filosofia, v. 8, p. 178-190, 2017. DOI: https://doi.org/10.7443/problemata.v8i1.27851. Acesso em 14/12/2020.

ZWEIG, Stefan. Autobiografia: O Mundo de Ontem. Tradução de Kristina Michahelles. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.21902/revistajur.2316-753X.v3i65.4839

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.