CONTOURS OF THE LEGAL KNOWLEDGE: THE SCIENTIFIC VALIDITY OF THE FIELD

José Edmilson de SOUZA-LIMA, Sandra Mara MACIEL-LIMA

Resumo


ABSTRACT

This article studies the contours of law knowledge and the scientific field. In methodological terms, make use of literature that highlights some law works contributions epistemic, theoretical and methodological of each author to the law field. It concludes that the law knowledge can be understand as a field of coexistence. The other contribution is that the article introduces an analytical model for future researches and the scientific validity claimed for the law field is associated to the each approaches analyzed.

KEYWORDS: Science of Law; Epistemological Contributions; Theoretical Contributions; Methodological Contributions; Legal Epistemology.

 

RESUMO

Este artigo encontra lugar no debate sempre inacabado em torno da cientificidade no campo jurídico. Neste sentido, o objetivo do artigo é refletir acerca dos contornos do conhecimento jurídico e da cientificidade do campo. Para tanto, este artigo teórico apoia-se em uma pesquisa bibliográfica que destaca de algumas obras jurídicas as contribuições epistêmicas, teóricas e metodológicas de cada autor para o campo. A principal conclusão alcançada está associada ao fato de que o conhecimento jurídico precisa ser apreendido como um campo de coexistência, não como um bloco monolítico. A outra contribuição é que o artigo torna público um modesto modelo analítico para estudos futuros que aprofundem o debate aqui iniciado. E por fim, conclui-se que a cientificidade reivindicada para o campo jurídico varia conforme as abordagens de cada autor analisado.

PALAVRAS-CHAVE: ciência do direito; contribuições epistêmicas; contribuições teóricas; contribuições metodológicas; epistemologia jurídica.


Referências


ARNAUD, André-Jean. O Direito Traído pela Filosofia. Porto Alegre: Sérgio Antonio Fabris Editor, 1991.

BACHELARD, Gaston. O Novo Espírito Científico. São Paulo: Abril Cultural, 1974.

BOMBASSARO. L. C. As fronteiras da epistemologia: como se produz o conhecimento. Petrópolis. Vozes. 1992.

BURAWOY, Michael. Por uma sociologia pública. Política & Trabalho - Revista de Ciências Sociais, n. 25, outubro de 2006 - p. 9-50.

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. 17.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2002.

ENCABO, Jesus Vega. La Ciência y sus Sujetos - ¿quiénes hacen la ciencia en el siglo XXI? México: Siglo XXI Editores – UNAM, 2009.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 22.ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 31.ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

GALILEU. Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1999. (Os Pesadores)

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade, volume I. 2.ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2012.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade, volume II. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2011.

HOBBES. Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

KANT, I. Crítica da razão pura. São Paulo: Nova Cultural, 1999 (Coleção Os Pensadores).

KELSEN, Hans. Teoria pura do direito. 8.ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

KUHN, Thomas S. A Estrutura das Revoluções Científicas. 9.ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

MORRISON, Wayne. Filosofia do direito: dos gregos ao pós-modernismo. Martins Fontes: São Paulo, 2006.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Os Pensadores: obras incompletas. 3.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

NORGAARD, R. B. Development betrayed: the end of progress and a coevolutionary revisioning of the future. London and New York: Routledge, 1994.

PEPE, Dunia. Um grupo de discussão aberta sobre a linguagem e a ciência: o Círculo Filosófico de Viena. In: De MASI, Domenico (org.). A emoção e a regra: os grupos criativos na Europa de 1850 a 1950. 9.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2007, p.205-228.

PLATÃO. A república de Platão. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1999. (Os Pensadores)

ROSS, Alf. Direito e justiça. 2.ed. Bauru, SP: EDIPRO, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O discurso e o poder: ensaio sobre a sociologia da retórica jurídica. 2. Reimpressão. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1988.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma revolução democrática da justiça. 3.ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.); TRINDADE, João Carlos (Org.). Conflito e transformação social: uma paisagem das justiças em Moçambique. Porto: Edições afrontamento, 2003. (Volume 1).

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia. Rio de Janeiro: Jorge ZAHAR Editor, 2006.

SOUZA-LIMA, José Edmilson. Conhecimento ambiental no Brasil: indagações sobre o novo campo. Texto conclusivo de estágio pós-doutoral junto ao Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento (PPGMADE-UFPR), outubro de 2012.

SOUZA-LIMA, José Edmilson. Profanar o campo. Disponível em: Acesso em 05/10/2013.

SOUZA-LIMA, José Edmilson; KNECHTEL, Maria do Rosário. Multiculturalismo e educação ambiental: dois campos de coexistência das racionalidades culturais e ambientais. In: MORALES, Angélica Góis et al. (Org). Educação ambiental e multiculturalismo. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2012, p.27-36.

SOUZA-LIMA, José Edmilson; BRAGA, Priscila Cazarin; SILVA, Rômulo Macari. A agrofloresta e os contornos de um sujeito (re)significado. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas (Online), v. 14, p. 25-46, 2013.

SUPIOT, Alain. Homo juridicus: ensaio sobre a função antropológica do direito. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.

WARAT, Luís Alberto. Introdução geral ao direito II: a epistemologia jurídica da modernidade. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2002.

WEBER, Max. Os Pensadores. 2.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

WEBER, Max. Sobre a teoria das ciências sociais. 2.ed. Lisboa: Editorial Presença, 1977.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .