FORMA JURÍDICA E CONCRETIZAÇÃO: PARA UMA ONTOLOGIA DO JURÍDICO

Enoque FEITOSA

Resumo


RESUMO

O presente artigo tem como objeto examinar a distinção no interior do jurídico, entre forma e conteúdo, com o acento - nesse modo específico de regulação social, em sua conformação moderna - naquele primeiro elemento, isto é, na sua exteriorização enquanto forma. Far-se-á, no que concerne ao método e ao referencial teórico, uma abordagem ontológica, ou seja, focada na resposta ao problema o que é ou o que caracteriza essencialmente o direito não como o que se gostaria que ele fosse e sim como ele efetivamente se apresenta, em prol, portanto, de uma atitude científica descritiva e, mais precisamente, não-prescritiva.  Como categoria paradigmática e autor-guia, para construir um fio condutor e para comprovação da hipótese elegida qual seja, a de considerar a melhor adequação de um exame dialético para dar conta da compreensão do âmbito jurídico enquanto discurso de justificação, far-se-á uso da “Ciência da lógica” hegeliana, mais especificamente da teoria do ser exposta no livro I com o fim de evidenciar como essa abordagem é dotada de maior aptidão em entender o âmbito jurídico do que a tese expressa numa concepção ingênua ou ideológica da validade universal dos valores, ideia tomada como irredutivelmente antinômica pelas perspectivas lógico-formais as quais não admitem – pelo princípio do terceiro excluído – que os valores podem ser se pensados em sua tensão dialética, universais e particulares ao mesmo tempo.

PALAVRAS-CHAVE: Forma jurídica. Ontologia. Valores. Vida social.

 

ABSTRACT

This article aims to be screened, in ontological terms about the distinction in the law between form and content, with the emphasis on its externalisation as a form. Regarding the method and the theoretical framework has an ontological approach that focuses on the response to the problem that is or what essentially characterises the right, not as one would like it to be and if indeed it is, therefore, a scientific attitude non-normative and descriptive. As paradigmatic category and guide author to test the hypotheses chosen, i.e. take into account in making a dialectical examination for the understanding of the legal framework as a discourse of justification, will be the "Science of logic" Hegelian more specifically the theory of being exposed in the book I in order to show how the dialectical approach is best consideration to understand the legal as a moment for the overcoming of the thesis expressed in a naive or ideological conception of the universal validity of values, something that is given as irreducibly antinomico by prospects that do not support - is the principle of the excluded third - which values can be considered in its tension dialectic, particular and universal, at the same time.

KEYWORDS: Legal form; Ontology; Values; Social life


Referências


ARISTÓTELES. Metafísica. São Paulo: Loyola, 2002

BARATA-MOURA. Estudos sobre a ontologia de Hegel: ser, verdade e contradição. Lisboa: Avante, 2013

_______. Sobre Lenine e a Filosofia: a reivindicação de uma ontologia materialista - dialéctica como projecto. Lisboa: Avante, 2012.

_______. Filosofia em ‘O capital’: uma aproximação. Lisboa: Avante, 2012

_______. Totalidade e Contradição: acerca da dialética. Lisboa: Avante, 2013

BOBBIO, Norberto. “Filosofia del derecho y teoria general del derecho”. In: Contribuición a la teoria del Derecho. Madrid: Editora Debate, 1993

DJUGASHVILLI, I. V. El marxismo y la cuestión nacional. Madrid: Vanguardia, 2003

ENGELS. Anti-Dühring: la subversión de la ciencia por el señor Eugen Dühring. México: Grijalbo, 1968

_______. Letter to W. Borgius, 25.01.1894. In: Marx & Engels Collected works (Letters 1892-1895). London: Lawrence & Wishart, 2010, Volume 50

_______. Engels to Schmidt em 05.08.1890. In: Marx and Engels Collected works. London: Lawrence & Wishart, 2010, v. 49 (Letters 1890-92)

_______. Feuerbach and End of Classical German Philosophy. In: Marx & Engels Collected Works, Vol. 26 (1882-89). London: Lawrence & Wishart, 2010

FAGUNDES, João Vasco. A dialéctica do abstrato e do concreto em Karl Marx. Lisboa: GEM, 2014

FEITOSA, Enoque. Direito e Humanismo no jovem Marx. João Pessoa: EDUFPB, 2016

_______. O discurso jurídico enquanto retórica de justificação: o direito como linguagem entre ideologia e verdade. In: Retórica e políticas: análises jurídico-filosóficas (Orgs.: Narbal de Marsilac; Pedro Parini Marques). João Pessoa: EDUFPB, 2015

_______. Entre prescrição e descrição do mundo e as demandas por sua transformação. In: Direitos humanos, democracia e justiça (Orgs.: Adriana Castelo Branco; Nelson Juliano; Lorena Freitas; Enoque Feitosa; Yan Carvalho). Teresina: EDUFPI, 2015

_______. Forma jurídica e método dialético: a crítica marxista ao direito. In: Marxismo, realismo e direitos humanos (Orgs.: Lorena Freitas; Enoque Feitosa). João Pessoa: UFPB, 2012

_______. O discurso jurídico como justificação. Recife: EDUFPE, 2009

GILSON, Etiènne. O ser e a essência. São Paulo: Paulus, 2016

HARTMANN, Nicolai. Ética. Madrid: Encuentro, 2011

_______. A filosofia do idealismo alemão. Lisboa: Calouste, 1983

_______. Ontologia. (volumes I-IV). México: FCE, 1977

HEGEL, G. W. F. Science de la logique (3 v.). Paris: Aubier-Montaigne, [vol. 1: L’Être, 1972; vol. 2: La logique subjective ou doctrine du concept, 1981; vol. 3: La doctrine de l’essence, 1976

_______. Ciencia de la lógica (Traducción: Augusta y Rodolfo Mondolfo). Madrid: Buenos Aires: Solar, 1976

_______. Enciclopédia das ciências filosóficas em epítome. Lisboa: Edições 70, 1988

_______. Wissenschaft der Logik (ersten Ausgabe, 1812; zweitwen Ausgabe, 1831). Disponível em: http://izt.ciens.ucv.ve/ecologia/Archivos/FilosofiaI/Hegel,%20Georg%20Wilhelm%20Friedric. (Acesso em novembro 2016). Edição fac-símile da Library of the University of California disponível em https://archive.org/details/wissenschaftder03hegegoog

HELLER, A. Sociología de la vida cotidiana Barcelona: Península, 1977

HERFERTH, Will. Sachregister zu den Werken Karl Marx, Friedrich Engels (Subject index to the works Karl Marx, Friedrich Engels). Hrsg.: Hans Jörg Sandkühler. Köln: Pahl-Rugenstein, 1983

HUME, David. Tratado da natureza humana. São Paulo: UNESP, 2001

LENINE, V. I. Conspecto do livro de Hegel ‘Ciência da lógica’. In: Obras escolhidas, volume 6. Lisboa: Avante, 1989

_______. Plano da dialética (lógica) de Hegel. In: Cadernos Filosóficos. Obras escolhidas, 6º volume. Lisboa, Moscovo: Avante, Progresso, 1989

_______. Materialismo e empiriocriticismo. Lisboa: Estampa, 1975

MARX, K; ENGELS, F. Collected works. v. 47 (Letters 1883-86). London, 2010

_______. Marx & Engels Collected Works. London: Lawrence & Wishart, 2010, v. 26 (Engels 1882-89)

_______. Marx & Engels Collected Works. London: Lawrence & Wishart, 2010, vol. 50 (Letters 1892-1895)

_______. A Ideologia Alemã. Rio de Janeiro: Civilização, 2007

_______. Werke: Sachregister. Berlin: Dietz Verlag, 1989.

MARX, K. Debates on the Law on Thefts of Wood. In: Marx & Engels Collected works. v 1 (Marx 1835-43). London: Lawrence & Wishart, 2010

MARX, Karl. Debates on the Law on Thefts of Wood. In: Marx & Engels Collected works. v. 1 (Marx 1835-43). London: Lawrence & Wishart, 2010

_______. O capital. Livro I (O processo de produção do capital), secção I, capítulo 1º (A mercadoria), secção 4 (O segredo do caráter fetichista da mercadoria). São Paulo: abr, 1983

_______. Para a crítica da economia política. Prefácio. In: Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos escolhidos. São Paulo: Abril, 1978

_______. Manoscritti econômico-filosofici del 1844. In: Opere di Marx Ed Engels (volume III). Roma: Riuniti, 1976

NAVES, Márcio B. Prefácio a edição brasileira. In: PACHUKANIS, E. A Teoria Geral do Direito e o Marxismo. São Paulo: Sundermann, 2017

PATRIOTA. R. Posfácio. In: LUKÁCAS, G. A alma e as formas. Belo Horizonte: Autênctica, 2015

QUARTIM DE MORAES, João. A Ontologia de Lukács: contaminação idealista do marxismo. In: Serviço Social em Revista, v 15, n 2, 2012

_______. O trabalho, adaptação seletiva. In: Materialismo e evolucionismo (v II) – João Quartim de Moraes (org.). São Paulo: FAPESP, 2011

SOKAL, Alan; BRICMONT, Jean. Fashionable nonsense: ‘postmodern intellectuals’ abuse of science. New York: Picador, 1998

SPINOSA, Baruch de. Carta n 50, de 02.06.1674, escrita em Haia e destinada para Jarig Jelles. In: Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1983

TROPPER. A filosofia do direito. São Paulo: Martins Fontes, 2005

VIEIRA PINTO, Álvaro. Consciência e Realidade Nacional (2 volumes). Rio de Janeiro: ISEB, 1960

_______. Ciência e existência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969

WARAT, L. A. Introdução geral ao direito. Porto Alegre: SAFE, 1994

WOLFF, Christianus. Philosophia prima sive ontologia, methodo scientifica pertractata, qua omnis cognitionis humanae principia continentur. Francofurti am Meno: Lipsiae, 1730 (rist. anast. della 2a ed. [ivi, 1736] in GW [1962


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .