O Impacto Provocado pela Pandemia nas Decisões do Supremo Tribunal Federal

José Gomes de BRITTO NETO, Jorge Flávio Santana CRUZ, Juliana Campos de Carvalho CRUZ

Resumo


Objetivo: O objetivo do estudo aqui relatado é demonstrar a subversão do papel do STF, afastando-se de suas atribuições constitucionais, para o fim de validar a tributação, ainda que sem respaldo legal, tão somente para suprir as despesas públicas no período da pandemia, vinculando cada vez mais a análise do Direito Tributário às Finanças Públicas, marginalizando os direitos e garantias do contribuinte.

Método: O método de pesquisa é o hipotético-dedutivo. A técnica de pesquisa é bibliográfica  e jurisprudencial, realizada em livros, periódicos, legislação, em uma abordagem qualitativa considerando os julgamentos proferidos pela Corte Suprema, em matéria tributária, nos exercícios de 2020 e 2021.

Resultado: A análise mostrou que todas essas decisões tiveram a eficácia modulada com base em argumentos extrajurídicos, a margem dos requisitos legais estabelecidos pela Lei nº 9.868/99.

Conclusões: A conduta adotada pelo STF acabou por validar a tributação sem respaldo legal, fomentando a arrecadação, em detrimento da segurança jurídica tão almejada pelos contribuintes.

Palavras-chaves: Suprema Corte; Pandemia; Contas Públicas.

 

ABSTRACT

Objective: The objective of the study reported here is to demonstrate the subversion of the role of the STF, moving away from its constitutional attributions, in order to validate the taxation, even if without legal support, only to supply public expenses in the period of the pandemic, linking increasingly the analysis of Tax Law to Public Finances, marginalizing the taxpayer’s rights and guarantees.

Method: The research method is hypothetical-deductive. The research technique is bibliographic and jurisprudential, carried out in books, periodicals, legislation, in a qualitative approach considering the judgments rendered by the Supreme Court, in tax matters, in the years 2020 and 2021.

Results: The analysis showed that all of these decisions had their effectiveness modulated based on extra-legal arguments, the margin of legal requirements established by Law nº 9.868/99.

Conclusions: The conduct adopted by the STF ended up validating taxation without legal support, encouraging tax collection, to the detriment of the legal security so desired by taxpayers.

Kewords: Supreme Court; Pandemic; Public Account.


Palavras-chave


Suprema Corte; Pandemia; Contas Públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHAN, Marcus. Efeitos da pandemia nas contas públicas e o papel fiscal do Estado. GEN Jurídico, São Paulo, 01 jul.2020. Acesso em: 03 mar. 2021.

ARRETCHE, Marta. Desafios Sociais e Econômicos da Pandemia. Academia Brasileira de Ciências. 13 jul. 2020. Disponível em: Acesso em: 04 mar. 2021.

ÁVILA, Humberto. Teoria da Segurança Jurídica. 4. Ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2016.

ÁVILA, Humberto Martins. Segurança jurídica: entre a permanência, mudança e realização no Direito Tributário. São Paulo: Editora Malheiros, 2011.

BARROSO, Luís Roberto. Neoconstitucionalismo e Constitucionalização do Direito. O Triunfo Tardio do Direito Constitucional no Brasil. Revista de Direito Administrativo. Rio de Janeiro, v. 240, abr-jun 2005, pp. 1-42. Disponível em http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rda/article/view/43618. Acesso em 04 jun. 2020.

BAUMAN, Zygmund; BORDONI, Carlo; tradução Renato Aguiar. Estado de Crise. 1 ed., Rio de Janeiro: Zahar, 2016. 191p.

BECHO, Renato Lopes. Responsabilidade tributária de terceiros: CTN, arts. 134 e 135. São Paulo: Editora Saraiva, 2014.

BECKER, Alfredo Augusto. Teoria Geral do Direito Tributário. São Paulo: Saraiva, 2 ed. 1972. 621p.

BERNARDES, Flávio Couto; FONSECA, Vinícius Simões Borges Espinheira. O sistema tributário nacional e a Lei nº 13.655/2018: A contradição entre a exigência de segurança jurídica e a introdução do consequencialismo econômico na aplicação do direito tributário. Revista da Faculdade de Direito – UFPR. Curitiba, v. 64, n. 3, set.-dez. 2019, p. 193-212. Disponível em . Acesso em 18 mar. 2021.

BERNARDES, Flávio Couto. O aspecto procedimental como elemento da norma jurídica tributária e seus reflexos na formação do título executivo. Tese (Doutorado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, p. 461. 2006. Disponível em < https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUBD-96ZKBJ>. Acesso em 18 mar. 2021.

BOCCATO, Esdras. Modulação dos Efeitos Temporais da Declaração de Inconstitucionalidade: ponderação, subsunção e dosimetria. 194 f. Dissertação (Mestrado em Direito do Estado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

BRASIL. [Constituição Federal (1988)] Constituição da República Federativa do Brasil de 05 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.868, de 10 de novembro de 1999. Dispõe sobre o processo e julgamento da ação direta de inconstitucionalidade e da ação declaratória de constitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2021.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (Plenário). Ação Declaratória de Inconstitucionalidade nº 1945. Recorrente: Partido do Movimento Democrático Brasileiro - PMDB. Relator: Ministro Dias Toffoli. Julgamento em 24/02/2021. Disponível em: < http://portal.stf.jus.br/processos/detalhe.asp?incidente=1747607 >. Acesso em: 03 mar. 2021.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (Plenário). Ação Declaratória de Inconstitucionalidade nº 5469. Recorrente: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABCOMM. Relator: Ministro Dias Toffoli. Julgamento em 24/02/2021. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2021.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (Plenário). Ação Declaratória de Inconstitucionalidade nº 5659. Recorrente: Confederação Nacional de Serviços - CNS. Relator: Ministro Dias Toffoli. Julgamento em 24/02/2021. Disponível em: < http://portal.stf.jus.br/processos/detalhe.asp?incidente=5132886>. Acesso em: 03 mar. 2021.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (Plenário). Recurso Extraordinário nº 574.706/PR. Recorrente: IMCOPA – Importação, Exportação e Indústria de Óleos Ltda. Recorrido: Fazenda Nacional. Relatora: Ministra Cármen Lúcia. Julgamento em 08/01/2021. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2021.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (Plenário). Recurso Extraordinário nº 851.108/SP. Recorrente: Estado de São Paulo. Recorrido: Vanessa Regina Andreatta. Relator: Ministro Dias Toffoli. DJe 02/03/2021. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2021.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (Plenário). Recurso Extraordinário nº 1.287.019/DF. Recorrente: Madeira Comércio Eletrônico S/A e Outros. Recorrido: Distrito Federal. Relator: Ministro Marco Aurélio. Julgamento em 24/02/2021. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2021.

CARRAZZA, Roque Antonio. Curso de Direito Constitucional Tributário. 30. ed. São Paulo: Malheiros Editores.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. O sistema constitucional brasileiro e as recentes inovações no controle de constitucionalidade (Leis nº. 9.868, de 10 de novembro e nº. 9.982, de 3 de dezembro de 1999). Revista de Direito Administrativo, nº. 220, abril-junho/2000. Disponível em < https://core.ac.uk/download/pdf/303990851.pdf>. Acesso em: 24 fev. 2021.

MARTINS, Ives Gandra da Silva. Segurança jurídica no direito tributário e modulação dos efeitos em decisões de inconstitucionalidade. Revista Tributária e de Finanças Públicas, RTRIB vol. 131, novembro – dezembro 2016. Disponível em < http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RTFPub_n.131.03.pdf>. Acesso em: 25 mar. 2021.

GRAU, Eros Roberto. A Ordem Econômica na Constituição de 1988: (interpretação e crítica). 18ª ed. atual. ISBN 978-85-392-0362-8. São Paulo: Malheiros, 2017.

LUHMAN, Niklas. O direito da sociedade. Tradução Saulo Krieger e Alexandre Agnolon. São Paulo: Martins Fontes, 2016.

MENDES, Gilmar Ferreira. A Declaração de Inconstitucionalidade sem a Pronúncia de Nulidade da Lei – “Unvereinbarkitser Klärung” – na Jurisprudência da Corte Constitucional Federal Alemã. Revista de Informação Legislativa. v.30. n. 118. Abr/jun 1993. Disponível em . Acesso em: 24 fev. 2021.

PONTES, Helenilson Cunha. A Suprema Insegurança Jurídica. Revista Consultor Jurídico. São Paulo. 03 mar. 2021. Disponível . Acesso em 03 de mar. de 2021.

SEGUNDO, Hugo de Brito Machado. Plenário Virtual em tempos de pandemia massacra o contribuinte (e o Estado de Direito). Revista Consultor Jurídico. São Paulo. 28 out. 2020. Disponível em: Acesso em: 28 fev. 2021.

SHECAIRA, Fábio P.; STRUCHINER, Noel. Teoria da argumentação jurídica. Rio de Janeiro: Contraponto, 2016.

STRECK, Lenio Luiz. Jurisdição Constitucional. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2019.

TORRES, Heleno Taveira. Modulação de efeitos da decisão e o ativismo judicial. Disponível em: Acesso em: 25 mar.2021.

VELLOSO, Andrei Pitten. A temerária “modulação” dos efeitos da pronúncia de inconstitucionalidade em matéria tributária. Revista Dialética de Direito Tributário, nº 157, out/2008.

OLIVON, Beatriz; BACELO, Joice. Contribuinte perde R$500 bi no STF - Fazenda Nacional vence 31 dos 37 julgamentos tributários realizados até setembro. Jornal Valor Econômico. Brasília. 21 out. 2020. Disponível em: Acesso em: 28 fev. 2021.

RODRIGUES, Eduardo; TOMAZELLI, Idiana. Governo Central tem em 2020 déficit de R$ 743,087 bi, o maior da série histórica. Estadão. Brasília, 28 jan. 2021. Disponível em: Acesso em: 28 fev. 2021.




DOI: http://dx.doi.org/10.21902/revistajur.2316-753X.v3i65.5153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.