Los principios de la haya y el derecho no estatal en el arbitraje comercial internacional

José Antonio Moreno RODRÍGUEZ

Resumo


RESUMO

Este trabalho  serve  como uma introdução para aqueles que ainda não estão cientes do importante documento que foi gerado pela Conferência de Haya, e suas potenciais consequências para a arbitragem, no futuro. Ao mesmo tempo, é uma avaliação crítica com uma recomendação específica em matéria de não-estado de direito, que deve ser de ampla aplicabilidade no mundo da arbitragem, tal como um instrumento que emerge dominante em vigor no campo hoje. 

Palavras-Chave: arbitragem internacional; experiencia de Haya; análise crítica.

 

RESUMEN

Este trabajo puede, pues, servir de introducción para quiénes aún no estén al tanto del importante documento que se viene –generado por la Conferencia de La Haya–, y sus potenciales consecuencias para el arbitraje en el futuro.  A la par, se hace aquí una evaluación crítica con una recomendación específica en lo que respecta al derecho no estatal, cuya aplicabilidad debería resultar amplia en el mundo del arbitraje, tal cual surge de instrumentos preponderantes hoy vigentes en la materia.

Palabras-clave: arbitraje internacional; experiencia de Haya; análisis critico.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.