THE RIGHT TO HEALTH AND ACCESS TO ICUs IN PANDEMIC TIMES - THE CASE OF THE MUNICIPALITY OF FORTALEZA (FIRST WAVE OF COVID-19)

Luciana Rêgo dos SANTOS, João Luís Nogueira MATIAS

Resumo


Objetivo: o artigo versa sobre o direito fundamental à saúde e o acesso às unidades de terapia intensiva – UTIs na pandemia COVID-19. O núcleo central situa-se na possibilidade de compatibilização do direito ao tratamento igualitário ao acesso às UTIs com a maximização de benefícios em saúde. A pesquisa tem como recorte a cidade de Fortaleza, capital do Ceará, sendo analisado o período de 01 de março de 2020 a 19 de junho de 2020 e os critérios de acesso às UTIs adotados pela referida municipalidade.

Metodologia: a pesquisa é descritiva e exploratória, com análise de textos doutrinários, atos normativos e dados empíricos e baseada em linha de raciocínio dedutivo.

Resultados: em Fortaleza, aplicam-se os critérios estipulados pela Resolução CFM nº 2.156/2016, adaptados aos aspectos estruturais do serviço de saúde local. A doença ocasiona danos mais severos em bairros com baixo IDH, conforme constatado. A opção de fila única de acesso a leitos, públicos ou privados, na pandemia vivenciada, se revela como medida atenuante das desigualdades sociais impostas, todavia, constatam-se grandes dificuldade para sua implementação.

Contribuições: a principal contribuição do trabalho consiste em chamar a atenção para a compatibilização do direito ao tratamento igualitário o acesso às UTIs com a maximização de benefícios em saúde, dando ênfase à análise de critérios de acesso às UTIs adotados pelo Município de Fortaleza durante a pandemia e à necessidade de implementação de políticas públicas que atenuem as desigualdades sociais.

Palavras-chaves: Direito à saúde; Critérios de acesso à UTI; Fila única; COVID-19.

 

ABSTRACT

Objective: the article deals with the fundamental right to health and access to intensive care units – ICUs in the pandemic of COVID-19. The central core situation is the possibility of reconciling the right to equal treatment in access to ICUs with the maximization of health benefits. The research has as its outline the city of Fortaleza, capital of Ceará, analyzing the period from March 1, 2020 to June 19, 2020 and the access criteria to ICUs adopted by the current municipality.

Methodology: the research is descriptive and exploratory, with analysis of doctrinal texts, normative acts and empirical data and based on deductive reasoning.

Results: in Fortaleza, the criteria stipulated by CFM Resolution No. 2,156/2016 are applied, adapted to the previous aspects of the local health service. The disease causes more serious damage in neighborhoods with low HDI, as found. The option for a single line of access to beds, public or private, in the pandemic experienced, reveals itself as a mitigating measure of the imposed social inequalities, however, there are great difficulties for its implementation.

Contributions: the main contribution of the work is to draw attention to make the right to equal treatment compatible with access to ICUs with the maximization of health benefits, emphasizing the analysis of the criteria for access to ICUs adopted by the Municipality of Fortaleza during a pandemic and regarding the need to implement public policies that mitigate social inequalities.

Keywords: Right to health. Criteria for access to the ICU. Single line. COVID-19.


Palavras-chave


Right to health; Criteria for access to the ICU; Single line; COVID-19;

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALCÂNTARA, Gisele Chaves Sampaio. Reflexões sobre a judicialização da saúde no Brasil á luz dos direitos sociais e da análise prospectiva proposta pela teoria dos jogos. Revista do Instituto Brasileiro de Direitos Humanos, Fortaleza, v.1, n.12, p.119-154, jul. 2016.

ASSOCIAÇÃO DE MEDICINA INTENSIVA BRASILEIRA (AMIB). AMIB apresenta dados atualizados sobre leitos de UTI no Brasil. 2020. Disponível em: https://www.amib.org.br/fileadmin/user_upload/amib/2020/abril/28/dados_uti_amib.pdf. Acesso em: 29 set. 2020.

ASSOCIAÇÃO DE MEDICINA INTENSIVA BRASILEIRA (AMIB). Regulamento técnico para funcionamento de unidades de terapia intensiva. 2009. Disponível em: https://www.amib.org.br/fileadmin/user_upload/amib/2018/abril/23/RecomendacoesAMIB.pdf. Acesso em: 16 maio. 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 15 jun. 2020.

BRASIL. Constituição (1824). Constituição Política do Império do Brazil. Rio de Janeiro, 1824. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constitui%C3%A7ao24.htm. Acesso em: 20 jun. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 671. O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator. Relator: Ministro Ricardo Lewandowski, 03 de abril de 2020. Disponível em: https://www.jota.info/wp-content/uploads/2020/04/adpf-671.pdf. Acesso em: 17 maio. 2020.

CABRAL, Ana Clara. SMS garante que Fortaleza está preparada para uma possível segunda onda de Covid-19, 2020. 2019. Disponível em: https://www.cmfor.ce.gov.br/2020/06/19/fortaleza-esta-preparada-caso-haja-segunda-onda-de-covid-19-afirma-sms/. Acesso em: jul 2020.

CECHINEL, Clovis. A condição de fragilidade física de idosos e aptidão para a direção veicular. 2015. Dissertação (Mestrado em enfermagem) – Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015. Disponível em: https://tinyurl.com/ycy2vta8. Acesso em: 18 maio. 2020.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução n. 2.271 de 14 de fevereiro de 2020. Regulamenta os critérios para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e Unidades de Cuidados intermediários no Brasil. 2020. Disponível em: http://www.in.gov.br/web/dou/-/resolucao-n-2.271-de-14-de-fevereiro-de-2020-253606068. Acesso em: 18 maio. 2020.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Recomendação nº 026, de 22 de abril de 2020. Recomenda aos gestores do SUS, em seu âmbito de competência, que requisitem leitos privados, quando necessário, e procedam à sua regulação única a fim de garantir atendimento igualitário durante a pandemia. 2020. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/recomendacoes-cns/1131-recomendacao-n-026-de-22-de-abril-de-2020. Acesso em: 16 maio. 2020.

DANA, Samy et al.. Brazilian Modeling of COVID-19 (BRAM-COD): a Bayesian Monte Carlo approach for COVID-19 spread in a limited data set context. MedRixiv. 2020. Disponível em: https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2020.04.29.20081174v3. Acesso em: 07 jun. 2020.

DRUMMOND, M.F. et al. Methods for the Economic Evaluation of Health Care Programmes. Oxford: Oxford Medical Publications, 1997.

DWORKIN, Ronald. A justiça e o alto custo da saúde. In: DWORKIN, Ronald. A virtude soberana: a teoria e a prática da igualdade. Trad. Jussara Simões. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FORTALEZA. Prefeitura Municipal. Informe semanal Covid-19. jun. 2020a. Disponível em: https://coronavirus.fortaleza.ce.gov.br/boletim-epidemiologico.html. Acesso em: 12 jun. 2020.

FORTALEZA. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal da Saúde. Relatório Covid-19, do Centro de Operações de Emergência em Saúde – COE. Junho 2020b, 36 f. (circulação interna).

FORTALEZA. Prefeitura Municipal. UPAS. jun. 2020c. Disponível em: https://saude.fortaleza.ce.gov.br/upa-s. Acesso em: 10 jun. 2020.

HACHEM, Daniel Wunder. A maximização dos direitos fundamentais econômicos e sociais pela via administrativa e a promoção do desenvolvimento. Revista de Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, v. 13, n. 13, p. 340-399, jan./jun. 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades e Estados. Informações por cidade. 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ce/fortaleza.html. Acesso em: 12 jun. 2020.

INTENSIVE CARE SOCIETY. Core Standards for Intensive Care Units. 2013. Disponível em: https://www.ics.ac.uk/ICS/ICS/GuidelinesAndStandards/ICSGuidelines.aspx. Acesso em: 17 maio. 2020.

KRETZER, Lara et al. Protocolo AMIB de Alocação de Recursos Em Esgotamento Durante a Pandemia por COVID-19. 2020. Disponível em: https://tinyurl.com/ydcpk52g. Acesso em: 08 jun. 2020.

MATIAS, João Luis Nogueira; MUNIZ, Águeda. O poder judiciário e a efetivação do direito à saúde. Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, v. 5, n. 1, p. 194-206, 2015.

NATIONAL INSTITUTE FOR HEALTH AND CARE EXCELLENCE. COVID-19 rapid guideline: critical care in adults (NG159). 20 de março de 2020. Disponível em: https://tinyurl.com/y9v3fkjs. Acesso em: 27 abr. 2020.

NEIDE, Albuquerque. Avaliação do acesso a leitos de UTI através da Central de Regulação Hospitalar do SUS em PE no ano de 2009. Monografia (Especialização em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde) – Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2010.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Organização Mundial da Saúde declara novo coronavírus uma pandemia. ONU News, Nova York, 11 de março de 2020. Disponível em: https://www.unasus.gov.br/noticia/organizacao-mundial-de-saude-declara-pandemia-de-coronavirus. Acesso em: 27 jun. 2020.

RHODES, A.; CHICHE, J-D; MORENO, R. Improving the quality of training programs in intensive care: a view from the ESICM. Intensive Care Medicine, Londres, v. 37, p. 377-379, 2011.

SARLET, Ingo Wolfgang. FIGUEIREDO, Mariana Filchtiner. O direito fundamental à proteção e promoção da saúde na ordem jurídico-constitucional: uma visão geral sobre o sistema (público e privado) de saúde no Brasil. Revista do Instituto do Direito Brasileiro, Lisboa, v.1, n. 4, p. 3234-3240, 2013.

SERRANO, Pedro et al. Frente unificada por políticas públicas solidárias que garantam, durante a pandemia, o acesso universal e igualitário aos serviços hospitalares através do SUS. 2020. Disponível em: https://www.vidasiguais.com.br/. Acesso em: 07 jun. 2020.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Planos de saúde na pandemia do coronavírus: entre a omissão e o oportunismo. 2020. Disponível em: https://sites.usp.br/geps/planos-de-saude-na-pandemia-do-coronavirus-entre-a-omissao-e-o-oportunismo. Acesso em: 06 jun. 2020.

WINSKILL, Peter et al. Equity in response to the COVID-19 pandemic: an assessment of the direct and indirect impacts on disadvantaged and vulnerable populations in low- and lower middle-income countries. Imperial College London, 2020. Disponível em: https://www.imperial.ac.uk/media/imperial-college/medicine/mrc-gida/2020-05-12-COVID19-Report-22.pdf. Acesso em: 15 maio. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Constitution of World Health Organization. 1946. Disponível em: http://www.who.int/governance/eb/who_constitution_en.pdf. Acesso em: 16 maio. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.21902/revistajur.2316-753X.v2i64.5078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.