A LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS COMO INSTRUMENTO DE CONCRETIZAÇÃO DA AUTONOMIA PRIVADA EM UM MUNDO CADA VEZ MAIS TECNOLÓGICO

Lucas Gonçalves SILVA, Bricio Luis da Anunciação MELO

Resumo


RESUMO

No mundo tecnológico, informações pessoais encontram-se dispersas em diversos bancos de dados. A privacidade passou a ser concebida como direito fundamental à autodeterminação informativa, deferindo-se ao indivíduo o controle de seus dados pessoais. Os bancos de dados vulneram a dignidade dos indivíduos, uma vez que há a sua completa exposição e é possível criar um perfil com base em informações que antes permaneciam dispersas. Com base na autonomia privada, a Lei Geral de Proteção de Dados passou a condicionar à anuência do titular a utilização de dados pessoais. Far-se-á uso da técnica de revisão de literatura sobre proteção de dados.

PALAVRAS-CHAVE: Autonomia privada; Autodeterminação informativa; Privacidade; Bancos de Dados; Dignidade da pessoa humana.

ABSTRACT

In the technological world, personal information is scattered across multiple databases. Privacy was conceived as a fundamental right to informational self-determination, allowing the individual to control their personal data. Databases violate the dignity of individuals, since there is complete exposure and it is possible to create a profile based on information that previously remained scattered. Based on the private autonomy, the General Law of Data Protection became conditioned to the consent of the holder the use of personal data.The literature review technique on data protection will be used.

KEYWORDS: Private autonomy; Informative self-determination; Privacy; Databases; Dignity of human person.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.