Fundo Monetario Internacional e os Acordos de Standby

Andre Lipp Pinto Basto Lupi, Demétrius Nichele Macei, Manoela Pereira Moser

Resumo


Esta pesquisa tem por objetivo analisar a natureza jurídica dos acordos de stand-by realizados pelo Fundo Monetário Internacional e o controverso sistema de condicionalidades. A discussão dar-se-á, primeiramente, discorrendo acerca do surgimento do FMI através da Convenção de Bretton Woods, sua finalidade, estrutura e formas de intervenção. Analisar-se-á, ainda, como se dá o sistema de cotas, o poder de voto e a conseqüente hegemonia americana. Será examinado, também, como ocorre  o processo de elaboração dos acordos de stand-by dentro do ordenamento brasileiro e em que medida este processo está em consonância com a Constituição Federal. E, por fim, pretende considerar quais as conseqüência destes acordos para a soberania e democracia nacional, através da exposição do divergente posicionamento doutrinário acerca do tema. 


Palavras-chave


Fundo Monetário Internacional (FMI); Acordos de stand-by; condicionalidade; consequências

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.