A concepção pluralística e a consideração da continuidade delitiva como unidade ou pluralidade de infrações penais

Luiz Antonio CÂMARA

Resumo


1.Introdução.2.Natureza Jurídica do Crime Continuado.2.1 Concepção da Continuidade Delitiva como Unidade Real.2.1.1 Unidade Natural.2.1.2 Unidade Jurídica.2.2.1 Concepção da Continuidade Delitiva como Unidade Fictícia. 2.2.2 Concepção Pluralística da Continuidade Delitiva. 3. Conclusão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

Revista Jurídica e-ISSN: 2316-753X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.