O IMPACTO DAS AÇÕES GOVERNAMENTAIS NAS PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAIS DAS EMPRESAS

Lucas Borges Kappel

Resumo


A presença das ações de responsabilidade socioambiental - RSA no cotidiano das empresas tem-se intensificado nos últimos anos; essa intensificação se deu por vários motivos, dentre eles são verificadas ações também do governo no sentido de influenciar estas organizações quando da RSA. Esse artigo tem o objetivo, então, de estudar quais são estas ações, por parte do governo federal, que impactam as práticas de RSA das empresas brasileiras e, para tanto, foi realizada análise de documentos. Os principais resultados apontaram para medidas legislativas e sociais no sentido de ampliar estas ações e influenciar indivíduos a se relacionarem, preferencialmente, com organizações que possuam esta consciência.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ASHLEY, P. A. Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Saraiva, 2002.

ASHLEY, P. A.; COUTINHO, R. B. G. & TOMEI, P. A. Responsabilidade social corporativa e cidadania empresarial: uma análise conceitual comparativa. XXIV Encontro da ANPAD. Anais do XXIV Encontro da ANPAD, 2000.

BARROS, A. J. S.; LEHFELD, N. A. S. Fundamentos de Metodologia: Um Guia para a Iniciação Científica. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BARROS, D. F.; COSTA, A. M. DA. Consumo consciente no Brasil: um olhar introdutório sobre práticas de resistência ao consumo por meio da análise do discurso do Instituto Akatu pelo consumo consciente. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, 2008.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 9. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1993.

BELL, J. Como realizar um projecto de investigação. 3. ed. Lisboa: Gradiva, 1993.

BORGES, J. F.; MIRANDA, R.; VALADÃO JÚNIOR, V. M. O discurso das fundações corporativas: caminhos de uma "nova" filantropia? RAE, São Paulo, n.1, p.101-115, 2007.

BRASIL2. Decreto nº 7.404, de 23 de dezembro de 2010, que regulamenta a Lei n° 12.305, de 2 de agosto de 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2012.

BRASIL. Lei n° 8.666, de 21 de junho de 1993, que regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2012.

BRASIL. Lei n° 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 05 out. 1988.

BRASIL. Decreto n° 7.746, de 5 de junho de 2012. Regulamenta o art. 3° da Lei N° 8.666, de 21 de junho de 1993, estabelecendo critérios, práticas e diretrizes gerais para a promoção do desenvolvimento nacional sustentável por intermédio das contratações públicas realizadas pela administração pública federal e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, n. 109, 06 jun. 2012. Seção 1, p. 9.

CÂMARA. Meio Ambiente aprova incentivo fiscal para empresa sustentável. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2012.

CÂMARA. Meio Ambiente aprova incentivo regulamentação de crédito de carbono. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2012.

CARRIERI, A. DE P.; SILVA, A. R. L. DA; PIMENTEL, T. D. O tema da proteção ambiental incorporado nos discursos da responsabilidade social corporativa. RAC, Curitiba, v. 13, n. 1, art. 1, p. 1-16, jan./mar. 2009.

CARROLL, A. B. The four faces of corporate citizenship. Business and society review, 100(101), 1-7, 1998.

CARROLL, G. R.; DELACROIX, J.; GOODSTEIN, J. The political environments of organizations: an ecological view, Research in Organizational Behaviour, 10: 359-92, 1988.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. São Paulo: Cortez, 1995.

COMPRASNET, Portal de compras do governo federal. Disponível em: . Acesso em: 06 ago. 2012.

COSTA, D. V. DA; TEODÓSIO, A. DOS S. DE S.. Desenvolvimento sustentável, consumo e cidadania: um estudo sobre a (des)articulação da comunicação de organizações da sociedade civil, do estado e das empresas. Rev. Adm Mackenzie, Edição Especial, v. 12, n. 03, p.114-145, Jun. 2011. Bimestral.

DEMAJOROVIC, J. Sociedade de risco e responsabilidade socioambiental: perspectivas para a educação corporativa. São Paulo: Editora SENAC, São Paulo, 2003.

DIAS, R. Gestão Ambiental – responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2006.

DONAIRE, D. Considerações sobre a influência da variável ambiental na empresa. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 34, n. 2, p. 68-77, mar./abr. 1994.

ECOSSIS. Projeto prevê incentivos fiscais a quem utilizar energia solar. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2012.

EGRI, C. P.; PINFIELD, L. T. As organizações e a biosfera: ecologia e meio ambiente. In: CLEGG, S. R.; HARDY C.; NORD, W. R. Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. 363-399.

FOLHA DE SÃO PAULO. Crianças terão conferência para cobrar ações ambientais do governo. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2012.

FRIEDMAN, M. The social responsibility of business is to increase its profits. New York Times Magazine, Set. 1970.

FREITAS, V. P. DE. A constituição federal e a efetividade das normas ambientais. 3. ed., rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005. p. 27-29.

G1. Saiba como abater o imposto de renda doações para cultura, esporte e infância. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2012.

GUIA EXAME. Boa cidadania corporativa. São Paulo: Abril, dez. 2005. 106 p.

HOOD, J. Do corporations have social responsibilities. The Freeman. v. 48, n. 11, p. 680-684, nov. 1998.

ILINITCH, A.Y.; SCHALTEGGER, S.C. Ecointegrated-portfolio analysis: a strategic tool for managing sustainably. 1993 Academy of Management Meeting, Atlanta.

KREITLON, M. P. Responsabilidade Social das Empresas: Regulação pelo Estado ou pela sociedade Civil? Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Brasília, v.29, 2005.

MAIMON, D. Eco-estratégia nas empresas brasileiras: realidade ou discurso? RAE - Revista de Administração de Empresas, Rio de Janeiro, v. 34, n.4, jul./ago. 1994.

NASCIMENTO, L. F. Quando a Gestão Social e a Gestão Ambiental se encontram. XXXI Encontro da ANPAD. Anais do XXXI Encontro da ANPAD, 2007.

OLABUENAGA, J. I. R.; ISPIZUA, M. A. La descodificacion de la vida cotidiana: metodos de investigacion cualitativa. Bilbao, Universidad de deusto, 1989.

OLIVEIRA, J. A. P. DE. Uma avaliação dos balanços sociais das 500 maiores. RAE Eletrônica, São Paulo, v. 04, n. 01, p.01-19, jan. 2005. Semestral. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2012.

PCPSGF. Portal de Contratações Públicas Sustentáveis do Governo Federal. Disponível em: . Acesso em: 06 ago. 2012.

PIMENTEL, A. O método da análise documental: seu uso numa pesquisa historiográfica. Cad. Pesqui., nov. 2001, n°. 114, p. 179-195.

PLANALTO. República Federativa do Brasil: Busca pelas palavras-chave “socioambiental” e “sustentabilidade”. Disponível em: . Acesso em: 06 ago. 2012.

PNRS. Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2012.

PORTILHO, F. Consumo “Verde”, Democracia Ecológica e Cidadania: Possibilidades de Diálogo? Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2012.

RICO, E. DE M. A responsabilidade social empresarial e o estado: uma aliança para o desenvolvimento sustentável. São Paulo em Perspectiva, 18 (4): 73-82, 2004.

SCHNAIBERG, A.; GOULD, K.A. Environmentand Society: the Enduring Conflict. New York: St Martin’s Press, 1994.

SCHOT, J. Credibility and markets as greening forces for the chemical industry. The Strategic Management Society Annual Conference, Toronto, 1991.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. UFSC/PPGEP/LED, Florianópolis, 2000.

SOARES, R. S.; VALADÃO JÚNIOR, V. M.. As faces que a responsabilidade socio-ambiental mostra e as que ela esconde. Alcance, Itajaí, v. 14, n. 03, p.375-384, set. 2007. Trimestral.

SOUZA, P. R. P. DE. O direito brasileiro: a prevenção de passivo ambiental e seus efeitos no MERCOSUL. Scientia Iuris – Revista do Programa de Mestrado em Direito Negocial da UEL. v. 1, 1997.

SOUZA, R. S. DE. Evolução e condicionantes da gestão ambiental nas empresas. REAd – Edição Especial, Santa Maria, v. 8, n. 6, nov. - dez. 2002.

SOUZA, P. R. P. Harmonização de leis ambientais nos dez anos do Mercosul, 2004. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2012.

TACHIZAWA, T.; POZO, H. Passivo e balanço socioambiental: desenvolvimento de um modelo de diagnóstico de sustentabilidade. Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, v. 03, n. 03, p.38-55, Set-Dez 2009. Quadrimestral.

TV ECOLÓGICA. Projeto de Lei: Incentivos Fiscais sobre o IRPJ. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2012.

VALADÃO JÚNIOR, V. M.; OLIVEIRA, A. C. M. DE. Responsabilidade socioambiental e integração: O caso Cargill Agrícola S/A - complexo industrial de Uberlândia – MG. Alcance, Itajaí, v. 17, n. 01, p.34-47, jan. 2010. Trimestral.




DOI: http://dx.doi.org/10.21902/AdminRev.2316-7548.v1i20.453

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Administração de Empresas em Revista, e-ISSN: 2316-7548

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.