CULTURA, CIDADANIA E SEGURANÇA: UM DEBATE ACERCA DA IMIGRAÇÃO NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Filipe Seefeldt de Césaro, Maria Catarina Chitolina Zanini

Resumo


O presente artigo busca esclarecer os principais elementos do processo de securitização da imigração e de que forma sua expressão se dá nas sociedades por meio de noções de cidadania e cultura. Esse processo essencialmente se destaca como pós-Guerra Fria, envolvendo a lógica de mobilidade humana empregada pelo Estado-nação, as relações e significados intersubjetivamente compartilhados em relação ao “outro” e a expressão, pela condição social de migrante, daquilo que mantém nacionalmente unidas muitas sociedades contemporâneas. É nesse sentido que o texto a seguir almeja relevância: busca analisar um processo essencialmente corrente em nosso tempo e que expõe muitas características do Estado nacional moderno.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, B. Imagined Communities. Revised ed. London: Verso, 2006.

APPADURAI, Arjun. Soberania sem territorialidade: Notas para uma geografia pós-nacional. Revista Novos Estudos do Cebrap, São Paulo, nº 49, pp. 33-46, 1997.

AUSTIN, J. L. How To Do Things With Words. London: Oxford University Press, 1962, 163 p.

BENEDICT, Ruth. A ciência do Costume. IN: BENEDICT, Ruth. Padrões de cultura. Lisboa: Ed. Livros do Brasil, p. 13-32, 2000.

BLOOM, W. Personal Identity, National Identity and International Relations. 1st. ed. New York: Cambridge University Press, 1990, 197 p.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil S.A., 1989.

BRACANTE, Pedro Henrique e REIS, Rossana Rocha. A Securitização da Imigração: um mapa do debate sobre e algumas considerações críticas. Revista Lua Nova, São Paulo, nº 77, p. 73-104, 2009. Disponível em: .

BUZAN, B.; WEAVER, O.; WILDE, J. DE. Security: A New Framework for Analysis. Boulder: Lynne Rienner Publishers Inc., 1998, 124 p.

CERVO, Amado Luiz. As relações históricas entre o Brasil e a Itália: o papel da diplomacia. São Paulo: Editora Universidade de Brasília, Instituto Italiano de Cultura, 1992.

DAHL, Robert A. Poliarquia. São Paulo: Edusp, 1997.

DE BOTTON, Alain. Religião para ateus. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2011.

DOUZINAS, Costas. O Fim dos Direitos Humanos. São Leopoldo: Editora Unisinos, pp. 349-385, 2009.

ELIAS, Norbert. Introdução. IN: ELIAS, Norbert. Os Estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Zahar, p. 7-50, 2000.

FERREIRA, C. E. R. O imigrante como um subversivo prático-político, possibilidade de um “novo mundo” – o projeto universal-cosmopolita dos Direitos Humanos em contraposição à Soberania territorial. Emancipação, v. 11, n. 2, p. 253–266, 20 dez. 2010. Disponível em http://www.revistas2.uepg.br/index.php/emancipacao

FOUCAULT, M. Segurança, Território e População. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora, 2008.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006.

HOBSBAWN, E. J. Nations and Nationalism since 1780: Programme, Myth, Reality. 1st. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

HUYSMANS, J.; SQUIRE, V. Migration and Security. In: CAVELTY, D. et al. (Eds.). . Handbook on Security Studies. 2009. ed. London: Routledge, 2009. p. 1–20.

HUYSMANS, J. The European Union and the Securitization of Migration. JCMS: Journal of Common Market Studies, v. 38, n. 5, p. 751–777, dez. 2000.

JERÓNIMO, Patrícia; VINK, Maarten Peter. Os múltiplos de cidadania e os seus direitos. Conferência "Portugal, os Açores e a Europa: novas cidadanias”, Ponta Delgada, University of Azores, 2013.

LEBOW, Richard Ned. Identity and International Relations. International Relations, v.22, n. 4, p. 473-492, 2008.

NEVES, A. V.; LOTÉRIO, B. Securitizaçao de Processos Migratórios. IV Encontro Nacional ABRI, Anais, Belo Horizonte: 2013. Disponível em: http://www.encontronacional2013.abri.org.br/resources/anais/20/1370052701_ARQUIVO_SecuritizacaodeProcessosMigratorios.pdf

PORTES, A. Migration and Social Change: Some Conceptual Reflections. Theorizing Key Migration Debates, Anais, Princeton: Oxford University, 2008.

REDFIELD, Robert. Como atua a sociedade humana. IN: SHAPIRO, Harry. Homem, cultura e sociedade. Rio de Janeiro: Fondo de Cultura, pp. 397-423, 1972.

REIS, R. R. Soberania, direitos humanos e migrações internacionais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 19, n. 55, p. 149–161, 2004.

SAYAD, Abdelmalek. O que é um imigrante? IN: SAYAD, Abdelmalek. A imigração. São Paulo: EDUSP, p.45-72, 1998.

SAYAD, Abdelmalek. Imigração e convenções internacionais. IN: SAYAD, Abdelmalek. A imigração. São Paulo: EDUSP, p.235-286, 1998.

SAYAD, Abdelmalek. O retorno constitutivo da condição do imigrante. Travessia, Rio de Janeiro, Ano XII, 2000.

SCHILLER, N. G.; BASCH, L.; BLANC, C. S. From immigrant to transmigrant: theorizing transnational migration. Anthropological Quarterly, v. 1, n. 68, p. 48–59, 1995.

SCHILLER, N. G.; FOURON, G. Laços de sangue: os fundamentos raciais do Estado-naçao transnacional. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 48, p. 33–66, 1997.

SCHILLER, Nina Glick; BASCH, Linda; BLANC‐SZANTON, Cristina. Towards a definition of transnationalism. Annals of the New York Academy of Sciences, v. 645, nº 1, p. ix-xiv, 1992.

SEVERINO, J. R. Migrar/emigrar/imigrar: algumas reflexões sobre cultura e território. VIII ENECULT, Anais. Salvador: ago. 2012

SMITH, A. D. National Identity. London: Penguin Group, 1991, 236 p.

VAN MUNSTER, R. Logics of Security : The Copenhagen School , Risk Management. Political Science Publications, v. 10, p. 1–19, 2005.

VERTOVEC, S. The Cultural Politics of Nation and Migration. Annual Review of Anthropology, v. 40, n. 1, p. 241–256, 21 out. 2011.

VERTOVEC, S.; WESSENDORF, S. The Multiculturalism Backlash: European discourses, policies and practices. Abingdon: Routledge, 2010, 110 p.

ZOHRY, A. Migration Without Borders : North Africa as a Reserve of Cheap Labour for Europe: Migrations Without Borders.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.