Governança Corporativa: Uma análise dos retornos dos índices da B3

Laura Lichtenecker da Silva, Bruno Milani

Resumo


Governança Corporativa é um sistema que dirige, monitora e incentiva as empresas e demais organizações. O presente estudo teve como objetivo analisar as diferenças de performance entre as empresas listadas nos índices de Governança Corporativa e nos índices amplos da Bolsa, Brasil, Balcão (B3), entre os anos de 2014 a 2018. Para isso, foi calculado o Índice de Sharpe Dinâmico, utilizando como medida de risco a volatilidade estimada através de um Modelo GARCH. Os Índices de Governança Corporativa apresentaram menor volatilidade e maior Índice de Sharpe em relação aos demais. Porém, após ser realizado o Teste t, constatou-se que não há diferença estatisticamente significativa entre os índices de Sharpe em relação aos Índices de Governança Corporativa e aos Índices Amplos.


Palavras-chave


Governança Corporativa. Performance. Volatilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, G. A; COSTA, F.M. Governança e qualidade da informação contábil: uma investigação utilizando empresas brasileiras que aderiram ou não aos níveis diferenciados de governança da BOVESPA. In: XXXI Encontro da ANPAD, 2007, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007. Disponível em < http://www.anpad.org.br/eventos.php?cod_evento=1&cod_evento_edicao=33&cod_edicao_subsecao=280&cod_edicao_trabalho=7913>. Acesso em 10 Mai 2019.

BERTHELOT, S; MORRIS, T; MORRILL, C. Corporate governance rating and financial performance: a Canadian study. Corporate Governance: The international journal of business in society, v. 10, n. 5, p. 635-646, 2010. Disponível em < https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/14720701011085599/full/html>. Acesso em 10 Mai 2019.

BHAGAT, S; BOLTON, B. Corporate governance and firm performance. Journal of Corporate Finance, v. 14, n. 3, p. 257-273, 2008. Disponível em < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0929119908000242?casa_token=bfGeYJ4Jl80AAAAA:OhywV55FYHW5gsH6lj3W1fzA0JbGfbRVIeKkOgMyOvLka82xRiAXPFyi6bE6spT6sjh0bZ2FOXE>. Acesso em 10 Mai 2019.

BOLLERSLEV, T. Generalized autoregressive conditional heteroskedacity. Journal of Econometrics, v. 53, p. 307-327, 1986. Disponível em < http://www.u.arizona.edu/~rlo/readings/278762.pdf>. Acesso em 10 Mai 2019.

BRASIL, BOLSA, BALCÃO. Segmentos de listagem. Disponível em: www.b3.com.br. Acesso em: 15 mai. 2019. Acesso em: 15 out. 2019.

BRASIL, BOLSA, BALCÃO. Índice Bovespa (Ibovespa). Disponível em: www.b3.com.br. Acesso em: 15 out. 2019. Acesso em: 15 out. 2019.

BRASIL, BOLSA, BALCÃO. Índice Brasil Amplo BM&FBOVESPA. Disponível em: www.b3.com.br. Acesso em: 15 out. 2019.

BRASIL, BOLSA, BALCÃO. Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada. Disponível em: www.b3.com.br. Acesso em: 15 out. 2019.

BRASIL, BOLSA, BALCÃO. Índice de Governança Corporativa - Novo Mercado. Disponível em: www.b3.com.br. Acesso em: 15 out. 2019.

CATAPAN, A; COLAUTO, R. D. Governança corporativa: uma análise de sua relação com o desempenho econômico-financeiro de empresas cotadas no Brasil nos anos de 2010 – 2012. Contaduría y Administración, v. 59, n. 3, p. 137-164, 2014. Disponível em < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0186104214712689> . Acesso em: 10 Mai 2019.

CHILD, J; RODRIGUES, S. B. Corporate governance and new organizational forms: Issues of double and multiple agency. Journal of Management and Governance, v. 7, n. 4, p. 337-360, 2003. Disponível em < https://link.springer.com/article/10.1023/A:1026210608769>. Acesso em: 10 Mai 2019.

CORREIA, L. F; AMARAL, H. F. Reflexão sobre as funções da governança corporativa. REGE Revista de Gestão, v. 13, n. 1, p. 43-55, 2006. Disponível em < https://www.revistas.usp.br/rege/article/view/36549>. Acesso em: 10 Mai 2019.

ENGLE, R.F. Autoregressive conditional Heteroskedacity with the estimates of variance of the United Kingdon inflation. Econometrica, v. 50, n.4, p. 987-1008, 1982. Disponível em < https://www.jstor.org/stable/1912773?casa_token=JAzsSvw1er4AAAAA%3APdet0_Bw_BczzGE3Bqvytz2wJOF_zcGyLJIZSKKkzLcthx-iW6g8We3cmhYkpqRENOe_l5CKSFG9OXK6pGUNi9nxEmsI2nEMPwgWQ68_a2ZqmNz0OTqA&seq=1#metadata_info_tab_contents>. Acesso em: 10 Mai 2019.

FERREIRA, L. D. N; SANTOS, A. C; LOPES, A. L. M; NAZARETH, L. G. C; FONSECA, R. A. Governança corporativa, eficiência, produtividade e desempenho. Revista de Administração Mackenzie (Mackenzie Management Review), v. 14, n. 4, 2013. Disponível em < https://www.redalyc.org/pdf/1954/195428131006.pdf>. Acesso em: 10 Mai 2019.

FRAGOSO, R. P. Governança corporativa e o desempenho das empresas em períodos de crescimento e de crise. Dissertação de mestrado. Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas (FGV). São Paulo, 2019. Disponível em < https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/27889>. Acesso em: 10 Mai 2019.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GITMAN, L. J. Princípios da Administração Financeira. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

IBGC. O que é governança corporativa. Disponível em: www.ibgc.org.br. Acesso em: 13 mai. 2019.

JENSEN, M. C. The modern industrial revolution, exit, and the failure of internal control systems. The Journal of Finance, v. 48, n. 3, p. 831-880, 1993. Disponível em < https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1540-6261.1993.tb04022.x>. Acesso em: 10 Mai 2019.

LA PORTA, R. LOPEZ-DE-SILANEZ, F; SHLEIFER, A; VISHNY, R. Investor protection and corporate governance. Journal of Financial Economics, v. 58, n. 1-2, p. 3-27, 2000. Disponível em < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0304405X00000659?casa_token=VueM5mGxjLoAAAAA:OFuEcMIQUyqYzS9KSoMcgsXEjv54a5AqmF6vL0NsODJ2wGoq8yqpZCPW3EzB9Un8cx279xKC9Fc>. Acesso em: 10 Mai 2019.

LEAL, R. P. C; FERREIRA, V. A. C; SILVA, A. L. C. Governança corporativa no Brasil e no mundo. Editora E-papers, 2002.

LIMA, S. H. O; OLIVEIRA, F. D; CABRAL, A. C. A; SANTOS, S. M; PESSOA, M. N. M. Governança corporativa e desempenho econômico: uma análise dos indicadores de desempenho entre os três níveis de mercado diferenciado da BM&FBovespa. REGE-Revista de Gestão, v. 22, n. 2, p. 187-204, 2015. Disponível em < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1809227616301084>. Acesso em: 10 Mai 2019.

MARCONI, M. D. A; LAKATOS, E. M. Metodologia Científica: Ciência e conhecimento científico; Métodos científicos; Teoria, hipóteses e variáveis; Metodologia Jurídica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

OECD. G20/OECD Principles of Corporate Governance. Disponível em: www.oecd.org. Acesso em: 14 mai. 2019.

OKIMURA, R. T; SILVEIRA, A. M; ROCHA, K. C. Estrutura de propriedade e desempenho corporativo no Brasil. RAC-Eletrônica, v. 1, n. 1, p. 119-135, 2007. Disponível em < http://www.anpad.org.br/periodicos/content/resumos.php?revista_id=3&artigo_id=628>

OLIVEIRA, G; PACHECO, M. Mercado financeiro. 2ª ed. São Paulo: Fundamento Educacional, 2010.

RABELO, F; SILVEIRA, J. M. Estruturas de governança e governança corporativa: avançando na direção da integração entre as dimensões competitivas e financeiras. Textos para discussão, v. 77, 1999. Disponível em < http://www.logisticareversa.net.br/uploads/1/6/3/0/1630201/estruturas_de_gov_corp_-_integracao_entre_dimensoes_competitivas_e_financeiras_-_rabelo_e_silveira.pdf>. Acesso em: 10 Mai 2019.

RABELO, S. S. T. Performance das melhores práticas de governança corporativa no Brasil: um estudo de carteiras. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Gestão e Negócios (FAGEN) Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Uberlândia, 2007. Disponível em < http://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12019>. Acesso em: 10 Mai 2019.

RIBEIRO, H. C. M; COSTA, B. K; FERREIRA, M. A. S. P. V; SERRA, B. P. D. C. Produção científica sobre os temas governança corporativa e stakeholders em periódicos internacionais. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, v. 17, n. 1, 2014. Disponível em < https://d1wqtxts1xzle7.cloudfront.net/42954359/CGG_2014_Governanca_Corporativa_e_Stakeholders_em_Periodicos_Internacionais.pdf?1456190028=&response-content-disposition=inline%3B+filename%3DPRODUCAO_ACADEMICA_DOS_TEMAS_ESTRATEGIA.pdf&Expires=1606753956&Signature=aHiDwykW4KdzDkmXN~czfwr6-HsCMkBdb8o14XReWGF1tGtJk9JaCQET6iBJQd8Uu9HK1PcX8r2AUnQYj9eDb7LmnqxJJkHZNi4rN0MGySLmBXBt5fOv1UN3dxERHvSE67ughA-TRT6z2DTM1Br15kmMhgY-f3RPIOnZtAXJj1x8qMxO5veJFuxyEBSAhQobrViWusvdAgRcSiVtanRWkJ6Yk5UTbu5puRvQJu-bHIteTl1Cj-XCAZkD2LovTKhUd8nm6D7zPmj8~v8UzEXHKHbZ9DQ48h7trYTD4Gzd2GffOJFOYEMYRRu4tbyvOi0b~t2bhA75ZUywXI4rbPCDEg__&Key-Pair-Id=APKAJLOHF5GGSLRBV4ZA>. Acesso em: 10 Mai 2019.

SHARPE, W. F. Mutual Fund Performance. The Journal of business. v. 39, n. 1, p. 119-138, 1966. Disponível em < https://www.jstor.org/stable/2351741?seq=1>. Acesso em: 10 Mai 2019.

SHLEIFER, A; VISHNY, R. W. A survey of corporate governance. The Journal of Finance, v. 52, n. 2, p. 737-783, 1997. Disponível em < https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1540-6261.1997.tb04820.x>. Acesso em: 10 Mai 2019.

SILVEIRA, A. M. Governança corporativa e estrutura de propriedade: determinantes e relação com o desempenho das empresas no Brasil. Tese de Doutorado. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo (USP) São Paulo, 2006. Disponível em < https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-23012005-200501/en.php>. Acesso em: 10 Mai 2019.

SILVEIRA, A. M; LANZANA, A.P; BARROS L.A.B.D.; FAMÁ, R. Efeito dos acionistas controladores no valor das companhias abertas brasileiras. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 39, n. 4, 2004. Disponível em < http://rausp.usp.br/wp-content/uploads/files/V3904362a372.pdf> . Acesso em: 10 Mai 2019.

TURNBULL, S. Corporate Governance: Its scope, concerns and theories. Corporate Governance: An International Review, v. 5, n. 4, p. 180-205, 1997. Disponível em < https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/1467-8683.00061>. Acesso em: 10 Mai 2019.

VIEIRA, K. M; VELASQUEZ, M. D; LOSEKANN, V. L; CERETTA, P. S. A influência da governança corporativa no desempenho e na estrutura de capital das empresas listadas na Bovespa. Revista Universo Contábil, v. 7, n. 1, p. 49-67, 2011. Disponível em < https://search.proquest.com/docview/911967634?pq-origsite=gscholar&fromopenview=true>. Acesso em: 10 Mai 2019.

VIEIRA, S. P.; MENDES, A. G. S. T. Governança corporativa: uma análise de sua evolução e impactos no mercado de capitais brasileiro. Revista BNDES. São Paulo, v. 11, n. 22, p.103-122, 2004. Disponível em < https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/8177/2/RB%2022%20Governan%C3%A7a%20Corporativa_Uma%20An%C3%A1lise%20de%20sua%20Evolu%C3%A7%C3%A3o%20e%20Impactos%20no%20Mercado%20de%20Capitais%20Brasileiro_P_BD.pdf>. Acesso em: 10 Mai 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Administração de Empresas em Revista, e-ISSN: 2316-7548

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.